Assimetria mamária

Os bioestimuladores no combate ao envelhecimento da pele
20.09.2019
Tamanho ideal da prótese
03.10.2019

A assimetria é algo muito comum em nosso corpo: é frequente ouvir relatos de pessoas com um pé maior do que o outro, assim como pernas ou braços. Com os seios não é diferente.
Quando as meninas entram na puberdade e as mamas começam a se desenvolver, é normal que uma cresça mais que a outra ou que as aréolas tenham posições ou formatos diferentes.
Essas condições geralmente não são tão perceptíveis, mas quando se tornam visíveis recebem o nome de assimetria mamária e podem incomodar, causar insegurança, insatisfação e afetar a autoestima de diversas mulheres.
Se essa é a sua situação ou se você conhece alguém que sofre com esse problema, continue lendo esse artigo e conheça mais sobre isso.

 

Assimetria mamária

As diferenças entre as mamas podem ser de diferentes tipos envolvendo:

  • Tamanho;
  • Formato;
  • Posição das aréolas;
  • Peso;
  • Etc.

Algumas condições podem causar a assimetria e essa mudança pode ocorrer a qualquer momento da vida de uma pessoa como por exemplo, na gravidez.
De qualquer forma, existem maneiras de solucionar o problema. Continue lendo e descubra como!

 

Como corrigir assimetria mamária por meio de cirurgia plástica?

Depois de uma consulta médica onde seja descartado qualquer tipo de problema de saúde devido à alteração das mamas, você pode recorrer a uma cirurgia plástica, com finalidade estética para resolver seu problema.
Nesse caso, o especialista fará uma minuciosa avaliação para decidir como diminuir ao máximo as diferenças entre as mamas. Na maioria dos casos, não é possível corrigir totalmente a assimetria, mas podemos chegar a resultados bem satisfatórios.
O resultado vai variar de acordo com o grau e o tipo de assimetria. Veja abaixo alguns exemplos de correções que podem ser realizadas pela paciente:

  • Aumentar o seio menor ou diminuir o seio maior;
  • Levantar os seios flácidos para que ambas cheguem à mesma posição;

Existem casos nos quais apenas colocando implantes de silicone de tamanhos diferentes já ameniza a situação. Em outros casos, é necessário realizar uma mastopexia com ou sem prótese, ou mesmo uma mamoplastia redutora combinada com mastopexia.
Um mês depois da cirurgia, já é possível ver as mudanças e se sentir melhor e mais segura com o novo visual. Aos poucos o especialista, a partir da avaliação realizada, libera a mulher para retomar sua rotina.

Se quiser resgatar sua autoestima, nossa clínica está preparada para esclarecer todas as suas dúvidas. Entre já em contato agora mesmo!

 

Agende agora a sua consulta!
Tel: (11) 2373-2535
Whatsapp: (11) 97379-2219

Endereços:
Rua Cel Irineu de Castro, 43 / CJ 706
Jardim Anália Franco, São Paulo – SP

Av Paulista, 91/ cj 607
Bela Vista, São Paulo – SP

Whatsapp Chat